Por Carol e Babinho

O que fazer nas Ilhas Maldivas? Guia completo com 10 dicas imperdíveis

O que fazer nas Ilhas Maldivas? Guia completo com 10 dicas imperdíveis

Banco de areia - Dhigurah - Ilhas Maldivas

É isso mesmo: as Maldivas são o verdadeiro paraíso! Água cristalina, hotéis de primeiríssima qualidade, vida marinha inacreditavelmente rica, bancos de areia paradisíacos e muito mais. Nesse artigo, vamos te contar em detalhes o que fazer nas Maldivas. Te garantimos que é impossível ler este artigo e não ficar apaixonado por esse país!

Nas redes sociais, as fotos mais comuns que vemos das Maldivas são daqueles bangalôs sobre a água, né? São incríveis, é verdade, mas as Maldivas vão muito além disso. Na lista abaixo, que preparamos com base em muita pesquisa e na nossa própria experiência, listamos 10 coisas incríveis (+1 atividade bônus mega interessante!) para fazer nas Maldivas.

Tudo do jeitinho que a gente gosta: com muita aventura e diversão. Uma olhada rápida no artigo vai te mostrar que, para cada item dessas 10 atividades nas Maldivas, dedicamos vários parágrafos com muiiita informação e com muito conteúdo. Vem com a gente que este artigo está completíssimo e muito divertido!

Amilla Resort - Ilhas Maldivas
Bangalô no Amilla

Vale lembrar que sugerimos que você comece a leitura dos nossos artigos das Maldivas pelo artigo “tudo o que você precisa saber antes de ir para as Ilhas Maldivas”. Acesse este artigo clicando aqui! Nele, falamos informações muito úteis mas pouco divulgadas sobre o país: diferença das ilhas locais pros resorts, a taxa de 22% que é aplicada sobre os preços nas Maldivas, melhor época para visitar e etc. Recomendamos muitíssimo a leitura!

Além dele, também possuímos mais dois artigos sobre as Maldivas. Um artigo que relata nossa experiência no Amilla Resort, o melhor hotel em que já nos hospedamos. Clique aqui para acessá-lo! E outro que conta tudo sobre a ilha local de Dhigurah, muito conhecida pelos bancos de areia e tubarões baleia. Clique aqui para acessá-lo!

1. NADAR COM TUBARÕES BALEIA

Não é à toa que nadar com tubarões baleia encabeça a nossa lista de o que fazer nas Maldivas: foi uma das experiências mais sensacionais que tivemos na nossa vida! Na verdade, nadamos 2 vezes com tubarão baleia nas Maldivas, em duas ilhas diferentes, e, nos parágrafos abaixo, vamos te explicar direitinho como isso aconteceu.

Tubarão baleia - Dhigurah - Ilhas Maldivas
Tubarão baleia nas Maldivas: um sonho!

Tubarão baleia, pra quem não conhece, é o maior peixe e o maior tubarão do mundo! É gigantesco – pode passar de 20m de comprimento -, mas totalmente dócil e inofensivo. É um animal completamente apaixonante.

Ele se alimenta de plânctons e, por isso, costuma nadar de boca aberta – quem vê a foto daquela bocona gigante aberta talvez se assuste, rs. Eles se alimentam por filtração. Quando engolem a água, os plânctons e pequenos animais acabam sendo engolidos junto. Então, ele elimina a água pelas brânquias e o alimento fica retido.

Desde criança, nadar com tubarão baleia era um dos meus grandes sonhos (Carol). Essa foi, aliás, a razão pela qual escolhemos ir para a ilha de Dhigurah, nas Maldivas. É um dos melhores locais do mundo para nadar com esses gigantes. Isso porque eles estão presentes na ilha o ano todo.

Para acessar o nosso artigo falando sobre a ilha de Dhigurah, clique aqui.

Dhigurah - Ilhas Maldivas
Ilha de Dhigurah, famosa pelos tubarões baleia nas Maldivas

Mas, antes de irmos para Dhigurah, estávamos na cidade de Dharavandhoo, que fica no Baa Atoll (nos tópicos seguintes, vamos explicar o que estávamos fazendo lá!). No nosso terceiro dia na ilha, que é uma ilha local, fomos para a praia logo após o café da manhã fazer snorkel em frente ao hotel.

Em frente ao Kiha Beach, o nosso hotel, tinha um snorkel maravilhoso e os corais já começavam logo na praia. Entramos na água e eu, Carol, dei umas cinco braçadas até a altura em que a gente costumava fazer o snorkel. Pois bem, quando cheguei ao local, que era o ponto em que a água ficava um pouco mais funda, levantei a cabeça.

E, inacreditavelmente, eu dei de cara com um tubarão baleia gigantesco, de uns 10 metros de comprimento. Demorei alguns segundos para entender do que se tratava (ele ocupava todo o meu campo de visão) e, assim que o reconheci, gritei ao Babinho, que estava sentado na areia calçando as nadadeiras: tubarãaaaao baleeeeia.

Tubarão baleia Maldivas Dhigurah
Olha essa boca!!!

Muito nervosos e ainda incrédulos com aquele momento, saímos engolindo água e nadando muito rápido, no ritmo dele. Embora pareça que o tubarão baleia nade devagar, porque ele está sempre muito calmo e tranquilo, ele nada muito rápido! É um animal enooorme e é muito difícil acompanhá-lo.

Ao lado dele, nadamos por volta de 6 minutos (tem mais de 5 minutos só de vídeos da GoPro) e vivemos uma sensação que é impossível explicar! Encontrar aquele tubarão baleia ali, na praia, em um momento totalmente despretensioso, foi um presente de Deus que jamais esqueceremos.

Vale dizer que, embora o Baa Atoll não seja o local mais indicado das Maldivas para quem está buscando nadar com tubarões baleia, eles eventualmente aparecem sim na Baía de Hanifaru e os encontros com eles são relativamente comuns, apesar de não serem regulares.

Dhigurah - Ilhas Maldivas - tubarão baleia
Procurando tubarão baleia em um dia muito nublado!

Pois bem, depois do Baa Atoll, seguimos viagem para a ilha de Dhigurah que, essa sim, é a ilha mais recomendada para quem quer um encontro com os tubarões baleia nas Maldivas. Os passeios funcionam assim: há muitos barcos, tanto de snorkel quanto de mergulho, que ficam à procura do gigante.

Você reserva o passeio no dia anterior e, por volta das 08hs da manhã, os barcos saem do porto para tentar avistar o tubarão baleia. Fique atento porque, agora, na época do Covid, os barcos dos hotéis só estão aceitando os próprios hóspedes nos passeios.

Pois bem, quando o barco avista o tubarão baleia, cai todo no mundo na água e começa a nadar em volta do bicho. Como falamos, ele nada muito rápido e, portanto, nem todo mundo consegue acompanhá-lo por um bom tempo. Quanto melhor você nadar e mais fôlego tiver, mais tempo conseguirá ficar com ele.

Tubarão baleia Dhigurah Maldivas
Babinho e o tubarão baleia

Fizemos dois passeios em Dhigurah para nadar com o tubarão baleia. No primeiro deles, não o encontramos e haviam muitos, muitos barcos procurando. Ficamos até pensando que, se o tivéssemos encontrado, seria difícil aproveitar, porque tinha muitas pessoas fazendo os passeios.

(Vale a pena registrar que as Maldivas são um lugar tão sensacional que, embora não tenhamos visto o tubarão baleia nesse primeiro passeio, vimos mais de 14 golfinhos e entramos na água com eles, acredita? No nosso destaque “Maldivas”, no instagram tem vídeos e fotos do momento).

No dia seguinte, fizemos outro passeio e, como estava um dia muito feio, com muita chuva e nublado, só o barco do nosso hotel Bliss Dhigurah saiu para procurar o tubarão baleia. E, acredite ou não, o encontramos (é muito difícil avistar qualquer coisa em um dia nublado, né…).

E, como só havia o nosso barco, tivemos o tubarão baleia só pra gente por muito tempo, mais de 30min. Éramos 6 turistas no barco, além do guia. O tubarão, como dissemos, nada muiiito rápido e o barco vai buscando quem for ficando pra trás – é um passeio super seguro, fique tranquilo quanto a isso.

Tubarão baleia Maldivas Dhigurah
Que momento mais mágico!

Como fomos os últimos a sair da água, conseguimos tirar essas fotos maravilhosas com ele, antes de ele ir afundando e sumir no azul. Se você vai pras Maldivas, esta é nossa sugestão número 1: não deixe de ter essa experiência fantástica, que poucos locais no mundo podem oferecer.

Um ponto que vale a pena lembrar é que, ao que parece, muitas pessoas “disputam” o tubarão baleia na água. Como, no nosso caso, havia só o nosso barco (por conta da chuva), isso não aconteceu.

Mas, no dia anterior – em que havia muitos barcos na água, mas nenhum animal foi avistado – tivemos uma ideia de quantas dezenas de pessoas estão ali com o mesmo objetivo: nadar com o tubarão baleia. Vá preparado para isso!

Tem um vídeo iradíssimo no nosso Instagram com várias imagens dos nossos encontros com o tubarão baleia. É impossível ver esse vídeo e não ficar emocionado, de verdade. Além disso, no destaque “Maldivas”, no nosso Instagram, tem vários stories contando como foram os encontros com os tubarões baleia!

Amilla Resort - Onde ficar nas Ilhas Maldivas
Rede privativa no nosso bangalô no Amilla

2. FICAR EM UM BANGALÔ SOBRE A ÁGUA

Essa é a experiência mais clássica das Ilhas Maldivas! E podemos afirmar: é super caro, mas vale cada centavinho. Há bangalôs e bangalôs, que custam de R$ 2.000 a R$ 40.000 a diária. Há bangalôs de todos os estilos: com piscina privativa, com escorregador, sobre um recife de corais, sobre o “azul” e etc.

Nós ficamos no Amilla Resort e saímos completamente apaixonados, tanto pelo bangalô como pelo hotel. Escrevemos um artigo aqui no blog contando em detalhes como foi nossa experiência no melhor hotel em que já nos hospedamos na vida: clique aqui para lê-lo!

Mas adiantamos aqui que buscamos em um bangalô sobre a água dois elementos. O primeiro é, claro, uma vista linda, com aquele mar azul turquesa estonteante. O segundo é a proximidade com um recife de corais com muita vida.

Amilla Resort - Ilhas Maldivas
Bangalôs no hotel com o recife de corais bem à frente

Se você gosta de aventuras e de atividades durante o dia, fique ligado nesse detalhe. Isso porque, em regra, quanto mais azul turquesa for a água, mais rasa e sem corais ela é. Apesar de linda, não há muito o que se fazer na água.

Por outro lado, quanto mais corais na água, maior a chance de vida e, portanto, de diversão! Foi justamente essa combinação que fez a gente amar o Amilla. Como se pode ver nas fotos, a vista era sensacional, com aquela água azul turquesa que nos remete ao paraíso.

Mas, a poucos metros à frente do bangalô, tinha uma barreira de corais de respeito. Vimos muitos tubarões lá todos os dias, tartarugas, arraias e uma infinidade de peixes. O snorkel que fizemos na frente do bangalô foi melhor do que muito mergulho que já fizemos por aí.

Ilhas Maldivas -Tubarão - Snorkel
Tubarão em frente ao nosso bangalô no Amilla

E a gente queria um bangalô exatamente assim! Além disso, fizemos questão de um bangalô com piscina, para a experiência ficar completa. A gente só saia do bangalô pra tomar café da manhã e jantar, acredita?

E o almoço, que não estava incluído no nosso plano no resort, a gente pedia no bangalô mesmo. Eu só entrei na piscina na área comum do hotel uma única vez, para fazer fotos. Na verdade, não vimos muito sentido em ficar nessa área, porque o bangalô era tudo de que a gente precisava! 😊

3. NADAR COM ARRAIAS MANTA GIGANTE

Ainda estamos no terceiro item da lista e as Maldivas já parecem o melhor lugar do mundo, né? 😊 Nadar com arraias manta era uma das nossas prioridades lá. Isso é possível em muitas ilhas nas Maldivas, mas há um lugar muito especial: a Baía de Hanifaru.

Baía de Hanifaru - Hanifaru Bay 1
A Baía de Hanifaru fica a poucos minutos de barco da ilha local de Dharavandhoo

Uma observação importante: valorize estes próximos parágrafos porque não há, em português, material disponível explicando, de fato, como funciona a Baía de Hanifaru. A Hanifaru Bay (em inglês) fica no Baa Atoll e é tão incrível que é Patrimônio da Unesco.

Nós ficamos 7 dias no Baa Atoll: 3 dias na ilha local de Dharavandhoo (onde fica o aeroporto) e 4 dias no Amilla Resort. E por que ficamos na ilha local? Justamente porque é a melhor opção para quem quer nadar com as arraias manta.

Em primeiro lugar, porque o passeio saindo de Dharavandhoo para nadar com as mantas na Baía de Hanifaru custa US$ 60 por pessoa. E o mesmo passeio saindo dos resorts no Baa Atoll custa US$ 175.

Arraia manta - Baia de Hanifaru - Ilhas Maldivas
Nadando com arraias manta na Baía de Hanifaru

Essa diferença de preços é muito grande, especialmente se você pretende, como a gente, fazer o passeio mais de um dia. Nós nadamos com as mantas 2 dias seguidos. E por que fizemos isso? Porque, no primeiro dia, haviam 6 mantas na baía. Mas, no segundo dia, haviam 30. E claro que não íamos perder essa oportunidade.

Estávamos dispostos a nadar com elas uma terceira vez – desde que houvesse mais de 30 mantas na baía. Mas, no nosso último dia na ilha local, só havia 5 mantas lá. Então, achamos que não valia a pena fazer o passeio de novo.

Um parêntese: foi justamente nesse dia que demos de cara com um tubarão baleia no “house reef”, a praia em frente ao hotel em Dharavandhoo. Então, no final das contas, até que foi bom não ter ido pra Baía de Hanifaru, hehe.

Ilha de Dharavandhoo - Baa Atoll
Praia de Dharavandhoo em frente ao nosso hotel Kiha Beach, onde vimos um tubarão praia! 🙂

E o segundo motivo pelo qual achamos que vale a pena fazer o passeio saindo da ilha local é que a Baía de Hanifaru é controlada pelos “rangers”, que trabalham na Unesco e monitoram o local e a visitação. E os rangers são moradores da ilha de Dharavandhoo, nativos.

Isso significa que quem está hospedado na ilha local tem acesso mais facilmente às informações. Todos os dias, os rangers voam um drone até a Baía de Hanifaru para saber quantas arraias manta (e tubarões baleia, em dia de muita sorte) têm na baía.

E eles passam essas informações para as empresas de mergulho locais. Muitas vezes, os próprios instrutores de mergulho estão ali ao lado deles enquanto eles estão voando com o drone (a ilha de Dharavandhoo é muito pequena, todo mundo se conhece!).

Baia de Hanifaru - Baa Atoll - arraias manta
Arraias manta na Baía de Hanifaru

Nós fizemos os snorkel com a Liquid Salt Divers e eles nos mandavam Whatsapp todos os dias avisando quantas mantas tinham no canal e perguntando se a gente queria ir. Nos resorts, funciona diferente. Você precisa confirmar o passeio no dia anterior e vai pra Baía sem saber se há mantas na baía e nem a quantidade.

Perceba que, se, pra você, mergulhar com as mantas não for uma prioridade, talvez o mais adequado seja fazer o passeio um único dia saindo do resort. Mas, se você, como a gente, fizer questão de tentar aproveitar ao máximo a Baía de Hanifaru, o ideal é ficar alguns dias na ilha de Dharavandhoo.

Vale lembrar que, na natureza, a gente não controla nada. Você pode dar o azar de não encontrar nenhuma manta ou, quem sabe, ter a benção de encontrar até centenas delas (alguns dias depois que saímos do Baa Atoll, apareceram 197 mantas de uma só vez, dá pra acreditar?)

Banco de areia - Dhigurah - Ilhas Maldivas
Banco de areia na Ilha Dhigurah

4. CURTIR UM BANCO DE AREIA

Sempre quisemos tirar uma foto paradisíaca dessa em um banco de areia e as Maldivas são o cenário ideal para isso! Um banco de areia é quando uma faixa de areia se forma próxima à praia. Há muitos deles nas Ilhas Maldivas!

Há duas opções para visitar bancos de areias nas Maldivas. A primeira delas é ficar hospedado em uma ilha local ou em um resort que tenha um banco de areia (foi a nossa opção!). A outra seria pagar um passeio que te leve de lancha até lá.

Nós ficamos na ilha local de Dhigurah (sim, a mesma ilha dos tubarões baleia!) e simplesmente amamos o banco de areia da ilha. Do nosso hotel, a gente caminhava cerca de 40 minutos pela praia e chegava ao banco de areia.

Dhigurah - Ilhas Maldivas
Caminho paradisíaco até o banco de areia na ilha de Dhigurah

No primeiro dia, fomos a pé e ficamos sozinhos lá durante horas. Nossos únicos companheiros eram tubarõezinhos na água. No segundo dia, pagamos um transporte (uma espécie de moto), porque estava muito quente e estávamos um pouco cansados. Foi US$ 7 cada trecho e valeu a pena! Havia mais 2 casais lá quando chegamos.

Se você for pagar um passeio para o banco de areia, provavelmente não sairá menos de US$ 100. E, quanto mais incrementado for o passeio, mais caro será. Alguns incluem parada para snorkel, piquenique ou, até mesmo, jantar privativo. Esteja preparado, porque os preços costumam ser bem salgados.

Além de Dhigurah, há dezenas de outras ilhas locais e resorts nas Maldivas que possuem bancos de areia. É bom checar direitinho antes de ir. Nós pessoalmente adoramos curtir um banco de areia paradisíaco só pra gente!

Para acessar o artigo de Dhigurah, clique aqui.

Dhigurah - Ilhas Maldivas - banco de areia

5. JANTAR PRIVATIVO NA AREIA

Um cuidado que a gente precisa tomar ao ver as fotos das Maldivas é que grande parte delas são de passeios extra, que são pagos à parte: jantar privativo na praia, café da manhã na barca na piscina, piquenique no banco de areia e etc.

Nós tivemos a experiência de um jantar privativo na areia incrível, que foi cortesia do Amilla Resort. Aliás, o hotel é especialista em fazer agradinhos, mas confessamos que esse foi um super mega hiper agrado, hehe. Neste link, você acessa a nossa experiência completa no resort.

Jantar privativo na areia
Nosso jantar privativo na areia

Fomos ao restaurante jantar normalmente e vimos, na praia, uma mesa montada na areia, com uma decoração linda e super romântica. Tiramos fotos, admiramos de longe e voltamos para o restaurante. Sentamos e, quando falamos o número do nosso quarto, o garçom nos avisou que, na verdade, aquela mesa na praia era pra gente.

Vocês não têm ideia da nossa surpresa e alegria. Nunca fomos tão bem tratados assim na vida. Jantamos sozinhos, com o pé na areia, e com aquele clima romântico delicioso. A comida estava maravilhosa, como sempre.

Nossa dica é que você fique ligado nos preços desses passeios pagos à parte (e lembre-se da taxa de 22%!). É bom se programar direitinho porque o preço pode ser bem caro. Ah, no destaque “Maldivas”, no nosso Instagram, tem o registro da nossa surpresa ao ganhar esse presente inesquecível!

Jantar privativo na areia - Ilhas Maldivas
Jantar dos sonhos 🙂

6. FAZER SNORKEL E MERGULHAR

Fazer snorkel ou mergulho é atividade obrigatória nas Maldivas! Não faz sentido conhecer esse país incrível e deixa de ver o melhor que ele tem a oferecer: a vida marinha. Como dissemos acima, fizemos vários snorkel nas Maldivas que foram muito melhores do que muito mergulho que já fizemos pelo mundo.

No snorkel nas Maldivas, vimos muitos tubarões, tartarugas, arraias manta, arraias chita, moreias, peixes das espécies mais variadas e coloridas possíveis e até tubarão baleia, como contamos acima. Até agora não acreditamos que vimos um tubarão baleia em um snorkelzinho na beira da praia, rs.

Somos mergulhadores avançados e também fizemos mergulho, mas, sinceramente falando, na nossa experiencia, aproveitamos mais o snorkel. Além de ser mais barato e mais fácil, percebemos que muitos mergulhos são feitos no mesmo lugar onde é feito o snorkel.

Snorkel - Ilhas Maldivas
Tartaruga no snorkel nas Maldivas 😍

Bem em frente ao nosso bangalô no Amilla Resort, por exemplo, era um ponto de mergulho bem movimentado. Mas é bom deixar claro que essa foi nossa experiência no Baa Atoll e em Dhigurah. Já ouvimos muitos relatos de pessoas que mergulharam nas Maldivas e acharam a experiência simplesmente fantástica!

Uma ilha muito conhecida pelo mergulho, que nós não visitamos, é a Maafushi. Além disso, existem muitos liveaboard de mergulho nas Maldivas. Vamos falar mais sobre eles mais abaixo, no tópico do surfe.

A maioria dos hotéis fornece máscara e nadadeiras. E, lembre-se, quanto mais na água você ficar, mais chance terá de ver bichos e curtir a vida marinha. Nós amamos o snorkel tanto na ilha local de Dharavandhoo quanto no Amilla Resort. Foi simplesmente sensacional!

Bangalo nas ilhas maldivas
Snorkel no nosso bangalô no Amilla Resort

Alguns hotéis e resorts oferecem o passeio de snorkel, cobrado à parte, mas, se você souber nadar, recomendamos que você pegue seu equipamento, e caia na água na praia mesmo. Certamente vai se surpreender!

7. CONHECER UMA ILHA LOCAL NAS MALDIVAS

No artigo “Tudo o que você precisa saber antes de ir pras Ilhas Maldivas”, falamos bem sobre a diferença entre as ilhas locais e os resorts nas Maldivas. Apesar de estarem lado a lado, são propostas completamente diferentes! Sugerimos a leitura do artigo.

Os resorts ficam em ilhas privativas e oferecem luxo e muito conforto. As ilhas locais abrigam hotéis mais simples e pousadas de preços mais acessíveis e proporcionam contato com o povo e com a cultura local.

Dhigurah - Ilhas Maldivas
Pôr do sol na Ilha local de Dhigurah

Nós pessoalmente amamos conhecer uma ilha local! Ter contato com a cultura muçulmana e nos surpreender com a simpatia e hospitalidade do povo foi muito bacana. Além disso, os passeios saindo da ilhas locais, como falamos no artigo citado acima, são muito mais baratos.

Na nossa opinião, uma experiência completa nas Maldivas seria alguns dias em um bangalô sobre a água em um resort, mas também alguns dias em uma ilha local, para conhecer, de fato, o país Maldivas.

Por ser um país muçulmano, há várias restrições: não se pode tomar ou comercializar bebida alcóolica e só é permitido usar roupas de banho em praias específicas, chamadas de “bikini beach”. As informações completas sobre esse tema estão no neste artigo aqui.

Ilha Dhigurah - Ilhas Maldivas
Praia na ilha local de Dhigurah

8. RESTAURANTE SUBMERSO NAS MALDIVAS

Muita gente sonha em conhecer um restaurante subaquático. E as Maldivas tem várias opções para oferecer. Um restaurante subaquático é isso mesmo que você está pensando: um restaurante que fica completamente embaixo da água, entre peixes e corais.

Nós não fomos porque não estava inicialmente nas nossas prioridades. Até entramos em contato com o restaurante SEA, que fica no resort Anantara – também no Baa Atoll, onde fica o resort em que nos hospedamos, Amilla), mas, por conta das restrições do Covid, eles só estavam recebendo hóspedes do próprio hotel.

Normalmente, os restaurantes submersos são de vidro, para permitir que o hóspede observe toda a vida marinha enquanto degusta suas refeições. Muita gente prefere aproveitar o  restaurante no final da tarde, para pegar a transição da vida marinha do dia pra noite.

Restaurante submerso SEA. Foto: anantara.com

Listamos abaixo 6 restaurantes subaquáticos nas Maldivas com excelentes avaliações (mas, repetimos, não conhecemos nenhum deles). A maioria está entre 5 a 8 metros de profundidade:

Foto aérea de restaurante submerso nas Maldivas. Foto: Pexels

9. SURFE NAS MALDIVAS

Pouca gente sabe, mas as Maldivas são um dos melhores picos de surf do mundo! De acordo com o que pesquisamos, a melhor época para surfar na Maldivas é de fevereiro a outubro. Embora a gente não tenha surfado lá (só sabemos surfar no Lago Paranoá aqui em Brasília mesmo, rs), o nosso voo saindo do Brasil e indo pra Male estava lotado de surfistas.

A maioria deles fica em um liveaboard, que é um barco em que as pessoas ficam hospedadas. Dormem, comem, tomam banho, etc. Nós já fizemos alguns liveaboard pelo mundo para mergulho e amamos a experiência – como falamos acima, liveaboard para mergulho também são muito comuns nas Maldivas.

Dormir e acordar no mar é uma delícia. Imaginamos que, para o surf, seja igualmente maravilhoso. Você acorda e, bingo, já está pronto para cair na água para curtir o dia. Outra vantagem do liveaboard é que o barco fica se deslocando, buscando os melhores picos de surfe para os hóspedes.

Surfe nas Maldivas. Foto: visitmaldives.com

10. BIOLUMINESCÊNCIA NAS MALDIVAS

Se você acompanha a gente no instagram ou aqui no blog, sabe que a gente ama uma experiência única, inusitada, extraordinária, né? Pois pesquisamos bastante sobre a bioluminescência nas Maldivas antes de ir…

E, infelizmente, não encontramos muita coisa. Em relação à Baia de Hanifaru, por exemplo, garimpamos informações em inglês e, depois de muita pesquisa, nos sentimos seguros a nos aventurar lá atrás das arraias mantas.

Mas, com a bioluminescência, não encontramos informações na Internet em que confiássemos totalmente. Perceba que, se pesquisar por “bioluminescência nas Maldivas” (mesmo em inglês) no Google, você encontrará pouquíssimas fotos do fenômeno, a maioria delas repetidas ou bastante editadas (muitas disponíveis para venda em bancos de imagens, inclusive).

Bioluminecência nas Maldivas. Foto: Instagram Ask me Travel

A maior parte dos artigos fala que é possível observar o fenômeno na ilha de Vaadhoo, mas não encontramos nenhum relato pessoal de uma pessoa que, de fato, tenha ido ao local e tido essa experiência, sabe?

A bioluminescência no mar é também chamada de “mar de estrelas”’. É quando alguns plânctons emitem uma luz própria e brilham no escuro. É um fenômeno super lindo. Já vimos bioluminescência em alguns lugares: na ilha de Punta Faro, na Colômbia, e em Atins, no Maranhão, por exemplo. Mas a mais bonita que já vimos foi na Caverna de Waitomo, na Nova Zelândia (que, entretanto, é causada por insetos bioluminescentes –  e não plânctons).

E, embora tenhamos gostado bastante, a bioluminescência que vimos é bem diferente das fotos disponíveis na Internet: é muito mais simples e discreta na vida real. Por essa razão, sinceramente falando, não nos sentimos seguros a ir para uma ilha somente para tentar ver esse fenômeno.

Bioluminescência na Caverva de Waitomo, na Nova Zelândia. Foto: getyourguide.com

Na ilha local de Dharavandhoo, os nativos nos falaram que havia bioluminescência na praia. O primeiro cuidado que você precisa ter ao tentar avistar esse fenômeno é ir para um lugar o mais escuro e afastado possível. Luzes da praia atrapalham bastante. Fomos, então, bem longe na praia, mas, ainda assim, não encontramos nada.

No dia seguinte, contamos a eles que não conseguimos ver nada e eles prometerem nos levar naquela noite. No dia anterior, a gente estava procurando a bioluminescência mexendo os pés e as mãos na água. Mas eles nos mostraram um jeito diferente de tentar ver os plânctons.

Depois que a água do mar era levada pela onda, eles procuravam na própria areia, com os pés. Iam mexendo e revirando a areia, e aí a gente conseguiu ver os pontinhos brilhando. Muito legal! Eles falaram que isso é muito comum nas praias nas Maldivas.

Se você foi ou conhece alguém que, de fato, tenha visto algo parecido com essas imagens da Internet sobre bioluminescência nas Maldivas, por favor entre em contato com a gente! Gostaríamos muito de saber sobre isso e, quem sabe, no futuro, ir à ilha de Vaadhoo realizar esse sonho.

Raposas voadoras - morcego gigante - Ilhas Maldivas
Raposa voadora nas Maldivas

O QUE FAZER NAS MALDIVAS? BÔNUS – RAPOSAS VOADORAS

Acima, listamos 10 atividades incríveis e muito exclusivas para fazer nas Maldivas. Nesse tópico, que foi exigência do meu digníssimo esposo, kkkk, vamos falar sobre uma atividade bônus para fazer nas Maldivas: observar as raposas voadoras.

Isso mesmo, nas Maldivas tem aqueles morcegos gigantes, enormes, que também são chamados de raposas voadoras (“flying foxes”, em inglês). Na primeira noite em que chegamos, já vimos vários voando e Babinho ficou completamente apaixonado. Eu fiquei levemente desesperada 🤣.

São muito grandes – envergadura pra lá de um metro – e, por incrível que pareça, voam também de dia (mas mais à noite).  São frutíferos, completamente inofensivos. Nunca tínhamos ouvido ninguém comentar das raposas voadoras nas Maldivas, mas acreditamos que talvez as pessoas nem percebam que elas estão lá.

Raposas voadoras - morcego gigante - Ilhas Maldivas
Raposa voadora nas Maldivas!

O bicho é tão grande, que achamos que as pessoas pensavam que era um pássaro mesmo – talvez o corvo, muitíssimo comum nas Maldivas. Só sei que eu era obrigada a fazer um book de vídeos e fotos das raposas voadoras todo entardecer. Eu mereço? 😅

Ah, e vale lembrar que elas estão presentes em todo lugar com vegetação – e não só nas ilhas locais. No Amilla Resort, que é um hotel com muito verde em uma ilha privativa, também vimos muitos deles. Se você for pras Maldivas, vai se surpreender com esses seres tão excêntricos!

Amilla Resort - Ilhas Maldivas
Rolê de bike no Amilla Resort

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Essa foi nossa lista completíssima de o que fazer nas Ilhas Maldivas. Como todo o conteúdo que a gente procura entregar aqui no blog, foi feito com base em muita pesquisa e com nas nossas experiências pessoais.

Se você ainda não leu nosso artigo inicial sobre as Maldivas, “Tudo que você precisa saber antes de ir pras Ilhas Maldivas” é leitura obrigatória. Além dele, o artigo que conta em mais de 10 páginas como foi ficar em um bangalô sobre a água em um dos melhores locais do mundo para mergulho também está imperdível. Clique aqui para acessá-lo!

Pra ser bem sinceros com você, estamos amando escrever sobre as Maldivas. Foi umas melhores viagens da nossa vida e amamos conhecer e viver experiências tão inusitadas. Se não acompanhou nossa viagem “ao vivo” pelo Instagram, sugerimos que você dê uma olhada no destaque “Maldivas”, que tem muito conteúdo divertido e bacana por lá.

Amilla Resort - onde ficar nas ilhas Maldivas

Caso o seu voo para essa ou qualquer outra viagem tenha sido alterado ou dado overbooking, sugerimos uma leitura no nosso artigo que explica como ganhamos mais de R$ 14.000,00 em indenizações de companhias aéreas, sem entrar na justiça, apenas por procedimentos administrativos. Mas, se você preferir ajuda para requerer seus direitos, indicamos a Voe Tranquilo, que cuida de tudo pra você e só cobra pelo serviço se você receber o valor a que tem direito.

E, se você é fã de águas cristalinas e muita aventura, sugerimos nosso artigo das Ilhas Fiji. Ou, se você é fã de mergulho, acesse o nosso guia completo de mergulho e de snorkel em Noronha.

Até a próxima aventura,

Carol e Babinho

Booking.com

Quem Somos

cópia de 130729_4998-1024x1536.jpg

Olá! Somos Carol e Babinho, um casal parceiro, que ama experiências inusitadas pelo Brasil e pelo mundo - especialmente ligadas a aventura, esportes e natureza.
Saiba mais

Booking.com

Planeje sua viagem

chip internacional

INTERNET NO EXTERIOR

seguro viagem

SEGURO VIAGEM

aluguel de carro

ALUGUEL DE CARRO

passagens aereas

PASSAGENS AÉREAS

Rolar para cima